Sul-mato-grossenses conquistam ouro na Paralimpíada de Tóquio

Últimas Notícias

Dia histórico para o esporte de Mato Grosso do Sul nesta quinta-feira (26). Após o ouro inédito de Yeltsin Jacques nos 5.000m classe T11 (atletas com deficiência visual, com baixa ou nenhuma visão) da Paralimpíada de Tóquio-2020, batendo o recorde das Américas, foi a vez de Silvânia Costa de Oliveira brilhar no maior evento paradesportivo do planeta. A três-lagoense confirmou o favoritismo e se tornou bicampeã paralímpica do salto em distância, na classe T11 (pessoas com deficiência visual).

Assim como na Rio-2016, a medalha veio com emoção. Na edição brasileira dos Jogos Paralímpicos, a sul-mato-grossense de 34 anos só assegurou o ouro na sexta e última tentativa. Agora na capital japonesa, o lugar mais alto do pódio foi alcançado no quinto salto, ao atingir cinco metros cravados, sua melhor marca na temporada.

“Não foi uma prova muito fácil. Foi uma prova que eu entrei e no finalzinho tive muita garra, muita determinação, e ir para cima. Antes mesmo de finalizar a prova já estava comemorando. Eu sabia o tanto que eu tinha batalhado e lutado, o tanto que eu passei para chegar até aqui”, relatou Silvânia, em entrevista ao canal SporTV.

A mesma emoção marcou a vitória de Yeltsin um pouco mais cedo. “É nosso [ouro], é do Brasil. É uma grande honra subir o nosso país de posição, país que amamos tanto”, comemorou Yeltsin, em entrevista ao canal SporTV. Ele ainda deu detalhes da estratégia adotada. “Treinamos mais de dois anos intensos especificamente para essa prova, então o trabalho foi feito. Foi uma prova de bastante estratégia. Eu já tinha definido uma prévia próxima a isso e os meninos (guias) foram me passando todas as informações”.

O campo-grandense de 29 anos conquistou a primeira medalha dourada do Brasil na modalidade e sua primeira em uma Paralimpíada. O paratleta fechou a disputa no Estádio Olímpico com a marca de 15min13s12, novo recorde das Américas. Completaram o pódio dois corredores da casa: o japonês Kenya Karasawa ficou com a prata ao bater 15min18s12, e o seu conterrâneo Shynia Wada bronze, com 15min21s03.

Já Silvânia iniciou a prova queimando as duas primeiras chances. Na terceira, saltou 4,76 metros; na quarta, 4,69 metros e na quinta, enfim, veio a tão esperada marca. Para completar, na sexta e última ela atingiu 4,84 metros. O segundo lugar ficou com Asila Mirzayorova (4,91 metros), do Uzbequistão, e o terceiro com a ucraniana Yuliia Pavlenko (4,86 metros). A outra brasileira na disputa, Lorena Spoladore, finalizou na quarta posição, saltando 4,77 metros.

Calendário de competições dos atletas de MS:

  • 27 de agosto

Ricardo Costa de Oliveira – às 6h05 – Salto em distância masculino – final T11

  • 29 de agosto

Yeltsin Jacques – às 20h58 (de MS): 1500m masculino – T11 Ronda 1 – 2ª eliminatória

  • 31 de agosto

Fabrício Junior Barros – às 8h17 – 400m masculino – T12 – Rodada 1 – 1ª Eliminatória

  • 1º setembro

Débora Benevides – às 20h40 – Classificatória feminina – VL2 200m

Fernando Rufino – às 20h50 – Classificatória masculina – KL2 200m

Fernando Rufino – às 22h10 – Classificatória masculina – VL2 200m

  • 4 de setembro

Yeltsin Jacques – das 18h30 às 23h30 – Maratona masculina

Com informações de Fundesporte

Notícias Relacionadas

MS vai ter CNH Social para beneficiar 5 mil pessoas por ano

Para beneficiar cerca de 5 mil cidadãos por ano que não teriam condições de pagar com o processo de...